Telas OLED x AMOLED x LCD: Você sabe a diferença?

Até algum tempo atrás, o LCD reinava absoluto nas telas de smartphones. Coisa que mudou quando foi desafiado pelo OLED (Organic Light-Emitting Diode), que apresenta muitas vantagens técnicas, entre elas a melhor fidelidade na reprodução de cores, melhor ângulo de visão e consumo elétrico inferior.

Podemos dizer que o princípio de funcionamento das telas OLED é o oposto das telas de LCD. No LCD, a tela trabalha bloqueando seletivamente a luz emitida por LEDs (no caso dos smartphones) ou lâmpadas de catodo frio (no caso dos monitores). Cada ponto da tela é formado por um conjunto de três células de cristal líquido (uma para cada cor primária), que são transparentes em seu estado original, mas ficam opacas ao receber uma carga elétrica, impedindo a passagem de luz.

Smartphones Vivo com telas de AMOLED

Smartphones que utilizam a tecnologia AMOLED: maior fidelidade nas cores e no movimento de imagens. (Imagem: Oled-info.com/Reprodução)

Telas OLED

No OLED, são usados polímeros contendo substâncias orgânicas que brilham ao receber um impulso elétrico. Cada ponto da tela é composto com uma pequena quantidade do material, que, depois de receber os filamentos e outros componentes necessários, se comporta como um pequeno LED, emitindo luz.

A principal diferença entre os OLEDs e os LEDs convencionais é que os OLEDs são compostos líquidos, que podem ser “impressos” sobre diversos tipos de superfície, usando técnicas relativamente simples, enquanto os LEDs convencionais são dispositivos eletrônicos, que precisam ser construídos e encapsulados individualmente.

Na maioria dos casos, a tela OLED é instalada no meio de duas placas de vidro, lembrando o design de uma tela de LCD. Apesar disso, não é usado o tradicional backlight; toda a luz é emitida diretamente pela tela, o que simplifica o design.

Isso faz com que o aproveitamento de luz seja muito maior, resultando em um consumo elétrico mais baixo, uma característica importante no caso dos smartphones. Outro diferencial importante nas telas OLED é que o contraste e a reprodução de cores são também bastante superiores (já que a luz não precisa passar por várias camadas de vidro e plástico, como no caso do LCD), fazendo com que, quando colocadas lado a lado com as OLED, as telas de LCD pareçam ter um aspecto lavado.

O OLED é uma tecnologia que percorreu um longo caminho até chegar ao estágio atual. Os primeiros compostos tinham uma baixa durabilidade, perdendo gradualmente a capacidade de emitir luz. Com o tempo, compostos mais duráveis foram desenvolvidos, solucionando o problema da durabilidade e abrindo as portas para o uso comercial.

Inicialmente, os fabricantes tinham dificuldades em produzir telas OLED de alta resolução, de forma que elas eram usadas em alguns celulares e MP3 players, com telas de baixa resolução. Estas primeiras telas tinham, também, a desvantagem de utilizarem uma tecnologia de matiz passiva (assim como nos LCDs antigos), que comprometia a velocidade de atualização, tornando as telas inadequadas para assistir vídeos. Estas telas antigas são também chamadas de PMOLED (Passive-matrix OLED).

Telas AMOLED

Com o amadurecimento da tecnologia, surgiu o AMOLED (Active-Matrix OLED), onde são utilizadas telas de matiz ativa. A diferença entre as duas tecnologias é que, nas telas de matiz passiva, são usados transístores apenas para as linhas e colunas (o que torna a atualização muito mais lenta, deixando um rastro borrado em caso de mudanças rápidas), enquanto nas telas de matiz ativa, cada ponto da tela é controlado diretamente por um transístor. No caso das telas AMOLED, isso significa incluir uma camada adicional contendo os transístores e as trilhas necessárias, o que retardou bastante o desenvolvimento da tecnologia, já que é muito difícil produzir circuitos sobre materiais flexíveis.

Em resumo, as telas AMOLED tornaram-se muito mais baratas que as telas de LCD, já que elas utilizam um design mais simples. É por isso que provavelmente o seu smartphone utilize uma tela AMOLED.

Fonte

  • MORIMOTO, Carlos Eduardo. Smartphones: Guia Prático – Porto Alegre: Sul Editores, 2009. págs. 85-87.

© 2017. Rede LAN Soluções em Informática. Texto por Carlos Eduardo Morimoto.

Um pensamento sobre “Telas OLED x AMOLED x LCD: Você sabe a diferença?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s