Ethernet

Vamos entender como funciona e como se originou a tecnologia mais utilizada hoje, o padrão Ethernet. Dessa tecnologia, originou-se os padrões Megabit Ethernet e Gigabit Ethernet, atuando em velocidades superiores.

A Ethernet é um padrão de transmissão de dados em uma rede local, cadastrado no IEEE sob número 802.3. Atualmente, é o padrão mais utilizado em redes locais cabeadas. Sua tecnologia baseia-se no envio de pacotes por meio de cabos de par trançado, ou seja, pela camada física. Seu nome faz referência ao éter luminífero, meio no qual os físicos do século passado imaginavam que a luz viajasse.

O início

A tecnologia Ethernet foi desenvolvida pela Xerox Palo Research Center, no ano de 1973, por Robert Metcalfe. Robert escrevia um memorando a seus chefes contando sobre o potencial da tecnologia que havia desenvolvido. Porém, como todo início de projeto, não teve uma aceitação imediata. Robert ficou na Xerox até 1976, quando decide sair e criar sua própria empresa, a 3Com, que hoje é a fabricante mais conhecida de suprimentos de infra-estrutura para redes de computadores. Nessa época, ele conseguiu convencer as empresas DEC, Intel e Xerox a trabalharem juntas para a difusão da tecnologia Ethernet.

Esquematização

A Ethernet consiste em enviar pacotes por um meio físico, geralmente por um cabo de par trançado. Os pacotes são constituídos por bytes. Seu tamanho deve conter no mínimo 64 bytes e no máximo 1518 bytes. O pacote é formado por endereço de destino, remetente, tipo, informações e CRC (ou FCS), conforme a figura abaixo:

Fonte: o autor

  • Endereço de destino é a estação ou estações que deverão receber o pacote. Tamanho máximo de 6 bytes.
  • Remetente é a estação que iniciou a transmissão. Tamanho máximo de 6 bytes.
  • Tipo indica o protocolo que está sendo utilizado, no nível 3.
  • Informações é o campo que contém os dados atuais enviados pela rede juntamente com algumas informações de controle. Caso os dados que estejam sendo enviados possuam menos que 46 bytes, é utilizado um padrão especial de bit chamado PAD para completar o mínimo de 46 bytes.
  • CRC (ou FCS) significa Teste de Redundância Cíclica e garante que os dados transmitidos sejam realmente de quem deveria ter enviado-os.

Endereçamento no padrão Ethernet

No padrão Ethernet, o endereçamento dos nós conectados à rede podem ser:

  • Endereçamento específico e;
  • Endereçamento broadcast.

Endereçamento específico

No endereçamento específico, o IEEE especifica que todos os dispositivos da rede devem possuir um endereço e hardware único, composto por 6 bytes de informação. Esse endereço já vem gravado de fábrica e é exclusivo, ou seja, não é possível alterar o endereço específico de um hardware.

Esse endereço é rigorosamente controlado pela IEEE e cada fabricante possui um código de identificação. Dessa forma, é possível identificar a que fabricante pertence o hardware através do endereço específico.

Esse endereço específico é denominado endereço MAC ou MAC address. O endereço MAC é composto por seis sequências de bytes em números hexadecimais (0-F). Dessa forma, o padrão de endereçamento MAC fica assim:

Fonte: o autor

00:08:54 refere-se ao fabricante, denominado como ID de fábrica (manufacture ID)
28:7f:a4 refere-se ao produto, denominado como endereço sequencial (sequential address)

Se você está utilizando o Sistema Operacional Windows, verifique o endereço MAC de sua placa de rede. Para isso, basta executar o prompt de comando, digitar o comando “IPCONFIG” e procurar por Endereço MAC.

Endereçamento broadcast

O endereçamento broadcast é um endereço que é reservado a todas as estações. Em outras palavras, um pacote enviado ao endereço broadcast será recebido por todos os nós conectados à rede. Por esse motivo, só é possível ter um endereço broadcast por rede.

O endereço broadcast é um endereçamento onde todos os bytes possuem os caracteres FF (em formato hexadecimal).

A Ethernet possui algumas classificações, de acordo com a velocidade com que trafegam os dados pela rede. As mais utilizadas são as redes Fast Ethernet e Gigabit Ethernet, pois trabalham com velocidades de 100 MB e 1GB, respectivamente.

A tecnologia Ethernet serviu de alicerce para os novos conceitos de redes, conhecidos hoje, mas que atuam com velocidades superiores. Estaremos aguardando as tecnologias à base de fibra óptica chegarem definitivamente ao Brasil e não serem mais atração futurista de outro planeta…

Fonte: não disponível.

3 pensamentos sobre “Ethernet

  1. Pingback: Gigabit Ethernet « Rede Lan

  2. Pingback: Redes de Computadores – Visão Geral | Rede Lan

  3. Pingback: O Conceito de Cabeamento Estruturado – Parte 3 (final) – Rede LAN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s